A graça e a verdade (1)

Duas vezes aparece no primeiro capítulo de João a frase "graça e verdade", ambas referidas ao Senhor Jesus Cristo. Ele veio "cheio de graça e de verdade"; e "a graça e a verdade" vieram por meio dele. Em seguida, entre ambas as frases estão esta outra, tanto ou mais maravilhosa do que aquela: "e graça sobre graça".

A graça é o dom imerecido de Deus para o homem. É a mão de Deus estendida ao homem, para que este a agarre por meio da fé. A verdade ao contrário, significa realidade, veracidade. Cristo é a graça de Deus e a verdade de Deus. A graça de Deus, em Cristo, levanta-nos, e a verdade nos ilumina, mostrando-nos as coisas como são – não como parecem ser.

Quando os homens se encontravam com Jesus conheciam a graça e a verdade de Deus. A graça os perdoava, e os levantava de sua prostração, no entanto a verdade permitia a eles alcançar o verdadeiro conhecimento de Deus e de si mesmos.

No Evangelho de João tudo está ordenado para mostrar a Cristo como a graça e como a verdade de Deus. Porque Deus não só quer nos receber e nos perdoar, como também quer nos mostrar as coisas como são, para que não estejamos enganados.

Quando recém conhecemos o Senhor vimos principalmente a graça – quase tudo era graça; mas passado um tempo, Deus começou a nos mostrar a verdade referente a nós mesmos, a nossa realidade. Começou a nos despir das nossas aparências, e começamos a nos sentir envergonhados de nós mesmos. A verdade de Deus começava a fazer o seu trabalho de descobrimento.

Mas em seguida, para que não nos "consumíssemos de demasiada tristeza", renova-nos a sua graça e nos diz: "Assim como é –e apesar disso– eu te amei, e te amo. Não me surpreendes com as suas misérias, antes, porém, por causa delas, te escolhi, para mostrar em ti o meu amor e o meu poder".

Assim, com o passar dos anos, a graça e a verdade sempre andam juntas, realizando a sua preciosa obra em nossos corações. Um pouco de graça e algo de verdade, nas doses precisas para não nos envaidecer, nem para nos desanimar. Deus quer que avancemos paralelamente no conhecimento de Deus e no conhecimento de nós mesmos, para que não estejamos enganados, como outros.

Deus não só sente prazer em nos perdoar, mas também em nos transformar, para que sejamos semelhantes ao Seu amado Filho Jesus Cristo. A frase que está no meio, dizíamos, é "e graça sobre graça". E ela nos faz pensar que a graça ultrapassa a verdade. Sem a graça, a verdade nos derruba; e por isso, enquanto estejamos em um corpo de carne como o que levamos, necessitaremos "graça sobre graça", uma e outra vez.

Diseño descargado desde plantillas web gratis y profesionales.